26 Jun 2024

Projeto H2med adotado pela Comissão Europeia na lista de Projetos de Interesse Comum (PIC)

No dia 28 de novembro de 2023, a Comissão Europeia selecionou o projeto H2med para ser incluído na lista de Projetos de Interesse Comum (PIC). O Conselho Europeu e o Parlamento têm dois meses para aprovar a lista PIC no início de 2024. O projeto H2med, um marco fundamental do European Hydrogen Backbone, pretende ajudar a descarbonizar a Europa até 2050.

Poderá transportar 2 milhões de toneladas de hidrogénio renovável por ano (MTPA), o que representa 10% do consumo estimado na Europa em 2030 de acordo com o plano REPowerEU.

Em outubro de 2022, os líderes de Portugal, Espanha e França decidiram desenvolver as interligações de energia no Sudoeste da Europa e criar um corredor de energia verde a ligar os três países à rede de energia do resto da União Europeia (UE). Também decidiram criar uma interligação de hidrogénio entre Portugal e Espanha (Celorico da Beira – Zamora/CelZa) e desenvolver um gasoduto offshore ligando Espanha e França (Barcelona-Marselha/BarMar) para transportar hidrogénio renovável da Península Ibérica para a Europa Central. Os três governos ratificaram este compromisso na Cimeira Euro-Mediterrânica no dia 9 de dezembro de 2022, com o apoio da Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen. A partir de janeiro de 2023, a Alemanha decidiu dar o seu apoio e aderir a esta iniciativa de corredor de hidrogénio.

A Enagás, GRTgaz, REN e Teréga, os quatro operadores de redes de transporte de gás na zona relevante, formaram um consórcio a 13 de dezembro de 2022 para apoiar os respetivos governos relativamente ao desenvolvimento do projeto H2med e submeter a candidatura de Projeto de Interesse Comum (PIC) ao abrigo do Regulamento EU/2022/869 sobre a Rede Transeuropeia de Energia (RTE-E). Além disso, as operadoras de redes de transporte reuniram-se em Berlim, no dia 18 de outubro de 2023, para realçar o papel fundamental do H2med em alcançar as metas do plano REPowerEU e acolher a operadora de redes alemã OGE no consórcio. Durante o evento em Berlim, os representantes da União Europeia e dos governos da Alemanha, Espanha, Portugal e França manifestaram o seu apoio ao desenvolvimento do gasoduto H2med. A Comissão Europeia aprovou a integração do H2med na lista de Projetos de Interesse Comum.

Os membros do consórcio receberam o ato delegado proposto pela Comissão Europeia, que escolhe os componentes BarMar e CelZa do projeto H2med. Estes dois projetos serão essenciais na construção de um corredor de hidrogénio da Península Ibérica ao Noroeste da Europa e Europa Central, pois ligam o abastecimento dos países produtores aos centros de procura e interligam os principais projetos neste corredor. Os membros do consórcio reconhecem a importância de algumas infraestruturas internas em Portugal, Espanha, França e Alemanha terem sido escolhidas para a lista de projetos PIC. Estes projetos são fundamentais para o desenvolvimento da totalidade do corredor H2med.

Após submetida ao Conselho Europeu e ao Parlamento no início de 2024, a lista PIC aprovada irá acelerar os procedimentos de design e licença de construção, bem como dar uma maior visibilidade junto de investidores e do mercado. Este marco abre caminho para que os membros do grupo H2med do consórcio participem na próxima apresentação de candidaturas ao financiamento europeu (CEF Energy 2024) para suportar as despesas ligadas aos estudos, necessários para tomar a decisão de investimento agendada para finais de 2025 e realizar a entrada em funcionamento e COD em 2030.

Hoje, o consórcio H2med lançou um site que reúne todos os componentes e fases do projeto. Pode ser consultado através da ligação: https://h2medproject.com/

Acerca das empresas envolvidas:

A Enagás é um Operador de Rede de Transporte (ORT) com 50 anos de experiência no desenvolvimento, operação e manutenção de infraestruturas energéticas. Possui mais de 12 000 quilómetros de gasodutos, três instalações de armazenamento subterrâneo e oito instalações de regaseificação, sendo quatro propriedade integral da Enagás e nas outras quatro a empresa tem uma participação significativa. A empresa opera em oito países: Espanha, Estados Unidos, México, Peru, Alemanha, Albânia, Grécia e Itália. Em Espanha, é o gestor técnico do sistema de gás e o operador que promove a rede de base do hidrogénio. De acordo com o seu compromisso com a transição energética, a Enagás anunciou o objetivo de se tornar neutra em carbono até 2040, com um compromisso firme com a descarbonização e a promoção de gases renováveis, principalmente, o hidrogénio.

Contacto para a Imprensa: dircom@enagas.es; (+34) 917 09 93 40

A GRTgaz é o segundo maior operador de transporte de gás da Europa, com 32 618 km de gasodutos e 640 TWh de gás transportado. A empresa possui 3330 colaboradores e gerou cerca de 2100 milhões de euros de volume de negócios em 2022. A GRTgaz tem uma declaração de missão: “Juntos vamos criar um futuro energético seguro, acessível e com impacto neutro no clima.” A GRTgaz é uma empresa inovadora que está a passar por uma grande transformação para adaptar a sua rede aos novos desafios ecológicos e digitais. Comprometeu-se com um cabaz de gás francês 100% neutro em carbono até 2050. Apoia os setores do hidrogénio e gás renovável (biometano e gás a partir de resíduos sólidos e líquidos). A GRTgaz efetua missões de serviço público para garantir a segurança do transporte de gás para os seus 879 clientes (transportadores, distribuidores, empresas industriais, fábricas de biometano e produtores). Com as subsidiárias Elengy, líder em serviços de terminais de GNL na Europa, e GRTgaz Deutschland, operadora da rede de transporte MEGAL na Alemanha, a GRTgaz desempenha um papel fundamental no panorama europeu das infraestruturas de gás.

A empresa exporta o seu know-how internacionalmente, em particular, os serviços desenvolvidos pelo próprio centro de investigação, o RICE.
Visite-nos em https://www.grtgaz.com/ ou no Twitter, LinkedIn, Instagram e Facebook

Contacto para a Imprensa: Chafia Baci – chafia.baci@grtgaz.com – +33 6 40 48 54 40

A OGE é um dos principais operadores de redes de transporte da Europa. Com a nossa rede de cerca de 12 000 quilómetros de gasodutos, transportamos gás para toda a Alemanha e, tendo em conta a nossa localização geográfica, somos a ligação para os fluxos de gás no mercado único europeu. Os nossos cerca de 1450 colaboradores garantem a segurança do abastecimento. Disponibilizamos a nossa rede a todos os participantes no mercado numa base não discriminatória, transparente e orientada para o mercado. Moldamos o fornecimento de energia. Hoje e no cabaz energético do futuro.
Para mais informações sobre a empresa, visite www.oge.net.

Contacto para a Imprensa: Kristian Peters-Lach, kristian.peters-lach@oge.net; T +49 201 3642–12622

A REN – Gasodutos, S.A. é o ORT de gás português e faz parte da REN – Redes Energéticas Nacionais, SGPS, S.A., um grupo de empresas que integra o ORT de eletricidade português, assim como outras concessões de atividades de gás em Portugal, como o Terminal de GNL de Sines, o armazenamento subterrâneo e uma empresa de distribuição de gás. Para além da operação em Portugal, a REN também tem ativos de gás e rede elétrica no Chile e uma participação na central de Cahora Bassa, em Moçambique. A REN – Gasodutos, S.A. é responsável pelo planeamento, projeto, construção, operação e manutenção de mais de 1300 km de gasodutos de alta pressão em Portugal, e pela gestão do sistema nacional de gás.

Visite-nos em www.ren.pt

Contacto para a Imprensa: Paulo Camacho; paulo.camacho@ren.pt; (+351) 929 029 187

Teréga – Implantada no Sudoeste de França, no cruzamento entre os principais fluxos de gás da Europa, tem aplicado as suas competências excecionais há mais de 75 anos no desenvolvimento de infraestruturas de transporte e armazenamento de gás. Hoje, continua a desenvolver soluções inovadoras para superar os principais desafios energéticos enfrentados pela França e Europa. A Teréga opera mais de 5000 km de gasodutos e dois reservatórios de armazenamento subterrâneo que representam 16% da rede de transporte de gás francesa e 26% capacidade de armazenamento nacional. A empresa registou um volume de negócios de 799 milhões de euros em 2022 e emprega cerca de 650 pessoas.

A responsabilidade social da empresa está no centro da estratégia da Teréga, pois embarca na transição energética para a neutralidade carbónica. A Teréga implementou programas em todas as áreas ASG (ambiental, social e de governação): a segurança dos colaboradores e das infraestruturas através do programa PARI 2025, o desenvolvimento sustentável dos territórios e a responsabilidade social através do programa ENERGIZ MOUV, o apoio a projetos filantrópicos através do fundo de dotação Teréga Accélérateur d’Énergies e a redução dos impactos ambientais através do programa BE POSITIF com um compromisso de redução de 30% das emissões de gases com efeito de estufa até 2030 em comparação com 2021 em todos os âmbitos 1, 2 e 3.

Visite-nos em https://www.terega.fr e no Twitter e LinkedIn.

Contacto para a Imprensa: Céline Dallest: celine.dallest@terega.fr (+33)6 38 89 11 07

O que está nas notícias?