26 Jun 2024

O projeto H2med está a entrar numa nova fase de desenvolvimento.

Os três parceiros de desenvolvimento do projeto BarMar, a Enagás (operador de rede de transporte em Espanha), a GRTgaz e a Teréga (operadores de redes de transporte em França), em coordenação com a OGE (operador de rede de transporte na Alemanha), decidiram contratar a empresa Wood para realizar os estudos de engenharia preliminares, efetuar a análise de traçados alternativos e escolher o corredor do projeto BarMar. Os estudos de impacto ambiental e social também foram iniciados hoje e serão realizados pela Tecnoambiente, com o apoio da Francom e Natural Power.

A Enagás, GRTgaz e Teréga, em coordenação com a OGE, têm o prazer de anunciar o sucesso da adjudicação de contratos à empresa Wood para a realização dos estudos de engenharia preliminares fundamentais.

O âmbito de trabalho inclui a análise de vários traçados potenciais para o gasoduto submarino que ligará Barcelona a Marselha através do Mar Mediterrâneo. A avaliação exaustiva vai permitir identificar o corredor preferencial para o BarMar e considerar as perspetivas técnica, económica, ambiental e social, realçando o compromisso dos três Operadores de Redes de Transporte (ORT) para uma abordagem sustentável e equilibrada.

Dada a natureza transfronteiriça e multidisciplinar do projeto BarMar, a avaliação de impacto ambiental e social será levada a cabo pela Tecnoambiente, com o apoio da Francom e Natural Power.

O BarMar faz parte do projeto H2med. O projeto H2med é composto por uma interligação de hidrogénio entre Portugal e Espanha (Celorico da Beira – Zamora) e um gasoduto submarino ligando Espanha a França (Barcelona – Marselha).

O projeto H2med é um esforço transnacional que visa a ligação das redes de hidrogénio da Península Ibérica às redes do Noroeste da Europa. O objetivo consiste em criar condições para o fornecimento de hidrogénio renovável a um custo acessível à Europa até 2030. O projeto foi lançado em outubro de 2022 pelo Presidente do Governo de Espanha, o Presidente de França e o Primeiro-Ministro de Portugal. Estes líderes reafirmaram o seu compromisso na Cimeira Euro-Mediterrânica a 9 de dezembro de 2022, em Alicante, com o apoio de Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia. O H2med está a ser desenvolvido pelos Operadores de Redes de Transporte (ORT) de vários países: Enagás, GRTgaz, REN, Teréga e OGE, que aderiu ao projeto em outubro de 2023.

No dia 28 de novembro de 2023, a Comissão Europeia selecionou o projeto H2med para ser incluído na lista de Projetos de Interesse Comum (PIC).

More information on H2med website project https://h2medproject.com/

Acerca das empresas envolvidas no projeto H2med:

A Enagás é um Operador de Rede de Transporte (ORT) com 50 anos de experiência no desenvolvimento, operação e manutenção de infraestruturas energéticas. Possui mais de 12 000 quilómetros de gasodutos, três instalações de armazenamento subterrâneo e oito instalações de regaseificação, das quais quatro são propriedade integral da Enagás e as outras quatro com uma participação significativa. A empresa opera em oito países: Espanha, Estados Unidos, México, Peru, Alemanha, Albânia, Grécia e Itália. Em Espanha, é a gestora técnica do sistema de gás e opera como gestor provisório da rede de base do hidrogénio. De acordo com o seu compromisso com a transição energética, a Enagás anunciou o objetivo de se tornar neutra em carbono até 2040, com um compromisso firme com a descarbonização e a promoção de gases renováveis, principalmente, o hidrogénio.

Contacto para a Imprensa: Jorge Álvarez Vidal – jcalvarez@enagas.es – (+34) 630 384 930

A GRTgaz é o segundo maior operador de transporte de gás da Europa, com 32 618 km de gasodutos e 640 TWh de gás transportado. A empresa possui 3330 colaboradores e gerou cerca de 2100 milhões de euros de volume de negócios em 2022. A GRTgaz tem uma declaração de missão: “Juntos vamos criar um futuro energético seguro, acessível e com impacto neutro no clima.” A GRTgaz é uma empresa inovadora que está a passar por uma grande transformação para adaptar a sua rede aos novos desafios ecológicos e digitais. Comprometeu-se a um cabaz de gás francês 100% neutro em carbono até 2050. Apoia os setores do hidrogénio e gás renovável (biometano e gás a partir de resíduos sólidos e líquidos). A GRTgaz efetua missões de serviço público para garantir a segurança do transporte de gás para os seus 879 clientes (transportadores, distribuidores, empresas industriais, fábricas de biometano e produtores). Com as subsidiárias Elengy, líder em serviços de terminais de GNL na Europa, e GRTgaz Deutschland, operador da rede de transporte MEGAL na Alemanha, a GRTgaz desempenha um papel fundamental no panorama europeu das infraestruturas de gás. A empresa exporta o seu know-how internacionalmente, em particular, os serviços desenvolvidos pelo próprio centro de investigação, o RICE. Visite-nos em https://www.grtgaz.com/, or on Twitter, LinkedIn, Instagram and Facebook.

Contacto para a Imprensa: Chafia Baci – chafia.baci@grtgaz.com – +33 6 40 48 54 40

A OGE é uma das principais operadoras de redes de transporte da Europa. Com a nossa rede de cerca de 12 000 quilómetros de gasodutos, transportamos gás para toda a Alemanha e, tendo em conta a nossa localização geográfica, somos a ligação para os fluxos de gás no mercado único europeu. Os nossos cerca de 1450 colaboradores garantem a segurança do abastecimento. Disponibilizamos a nossa rede a todos os participantes no mercado numa base não discriminatória, transparente e orientada para o mercado. Moldamos o fornecimento de energia. Hoje e no cabaz energético do futuro. Para mais informações sobre a empresa, visite www.oge.net.

Contacto para a Imprensa: Kristian Peters-Lach, kristian.peters-lach@oge.net; T +49 201 3642–12622

A REN – Gasodutos, S.A. é o ORT de gás português e faz parte da REN – Redes Energéticas Nacionais, SGPS, S.A., um grupo de empresas que integra o ORT de eletricidade português, assim como outras concessões de atividades de gás em Portugal, como o Terminal de GNL de Sines, o armazenamento subterrâneo e uma empresa de distribuição de gás. Para além da operação em Portugal, a REN também tem ativos de gás e rede elétrica no Chile e uma participação na central de Cahora Bassa, em Moçambique. A REN – Gasodutos, S.A. é responsável pelo planeamento, projeto, construção, operação e manutenção de mais de 1300 km de gasodutos de alta pressão em Portugal, e pela gestão do sistema nacional de gás.
Visite-nos em www.ren.pt.

Contacto para a Imprensa: Paulo Camacho; paulo.camacho@ren.pt; (+351) 929 029 187

Teréga – Implantada no Sudoeste de França, no cruzamento entre os principais fluxos de gás da Europa, tem aplicado as suas competências excecionais há mais de 75 anos no desenvolvimento de infraestruturas de transporte e armazenamento de gás. Hoje, continua a desenvolver soluções inovadoras para superar os principais desafios energéticos enfrentados pela França e Europa. A Teréga opera mais de 5000 km de gasodutos e dois reservatórios de armazenamento subterrâneo que representam 16% da rede de transporte de gás francesa e 26% capacidade de armazenamento nacional. A empresa registou um volume de negócios de 799 milhões de euros em 2022 e emprega cerca de 650 pessoas. A responsabilidade social da empresa está no centro da estratégia da Teréga, pois embarca na transição energética para a neutralidade carbónica. A Teréga implementou programas em todas as áreas ASG (ambiental, social e de governação): a segurança dos colaboradores e das infraestruturas através do programa PARI 2025, o desenvolvimento sustentável dos territórios e a responsabilidade social através do programa ENERGIZ MOUV, o apoio a projetos filantrópicos através do fundo de dotação Teréga Accélérateur d’Énergies e a redução dos impactos ambientais através do programa BE POSITIF com um compromisso de redução de 30% das emissões de gases com efeito de estufa até 2030 em comparação com 2021 em todos os âmbitos 1, 2 e 3.
Visite-nos em https://www.terega.fr/ e no Twitter e LinkedIn.

Contacto para a Imprensa: Céline Dallest: celine.dallest@terega.fr (+33) 6 38 89 11 07

O que está nas notícias?